história

 

Em 1418, uma tempestade desviou os exploradores João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira da costa da Guiné, levando-os a descobrir a Ilha de Porto Santo. Um ano mais tarde, os enviados da Coroa portuguesa regressaram para conquistar a Madeira.

O clima subtropical e a vegetação exuberante da Madeira seduziram o Infante D. Henrique, que imediatamente ordenou a sua colonização e mandou cultivar as suas terras com cereais, cana-de-açúcar e vinha. Por sua vez, as árvores que cobriam praticamente todo o território foram utilizadas para construir mastros mais altos e resistentes para as Caravelas da Armada portuguesa e para suportar as majestosas casas em estilo mourisco de Portugal continental.

Dividida em três capitanias, entregues a 3 governadores diferentes, a Madeira rapidamente se tornou uma ilha próspera e com trocas comerciais muito lucrativas que atraíam inúmeros mercadores. Entre eles Cristóvão Colombo, que aqui casou e teve um filho antes de partir à descoberta de outros mundos.

No século XVII, o casamento de Catarina de Bragança com Carlos II de Inglaterra aumentou a influência da Coroa inglesa na Ilha da Madeira levando muitos mercadores britânicos a instalarem-se na ilha e a dedicarem-se à exportação do Vinho da Madeira. Durante o século XVIII, a Madeira tornou-se o centro das mais importantes rotas comerciais.

O cenário natural e as qualidades terapêuticas da Ilha da Madeira fizeram dela, a partir do século XIX, um importante destino de férias entre a aristocracia europeia, estrelas de cinema e alguns escritores famosos. Hoje, a Madeira continua a ser um destino turístico por excelência, famosa pela sua paisagem natural, pelo clima ameno ao longo de todo o ano, por uma gastronomia rica em sabores e pela simpatia de um povo que recebe sempre com um sorriso quem chega.

Siga-nos no Facebook